Conhecendo Mansfield Park, enfim!

mansfield-parkDesde adolescente sou apaixonada pelas obras da Jane Austen. Hoje, orgulhosa, posso dizer que possuo todas elas em minha prateleira. Mesmo quando a crise financeira me abateu e eu precisei vender mais da metade dos meus livros, olhei para os romances da Jane de maneira especial e os mantive. O primeiro que li foi “Orgulho e preconceito”, seguido por “Razão e sensibilidade”, “Emma”, “Persuasão”, “A Abadia de Northanger” e… Faltava um! Eu sabia seu nome, mas não o encontrava de nenhuma maneira. Cheguei a pesquisar na internet, procurar em bibliotecas, livrarias… Só havia a opção em inglês. Creio que em algum momento Mansfield Park foi traduzido, mas imaginei que, provavelmente, essa tradução era bem antiga e sua edição já não estava mais disponibilizada. Essa foi minha hipótese, mas a verdade é que realmente não sei o porquê de eu ter tido tanta dificuldade em encontrar esse romance.

Para minha enorme alegria, no ano passado fiquei sabendo que a Martin Claret havia há pouco tempo editado todos os romances da Jane Austen em edições belíssimas! Esperei ansiosamente pela Festa do Livro da USP (mais de 150 editoras oferecem um desconto mínimo de 50% em seus títulos), que geralmente acontece entre o final de novembro e começo de dezembro. Graças a Deus, apesar de ainda não ter me recuperado totalmente da crise, eu já pude me dar ao luxo de comprar alguns livrinhos lá… Mesmo que todas as minhas aquisições tenham sido muito boas, ter em mãos Mansfield Park me deixou verdadeiramente emocionada. Enfim! Sou fã da Jane há uns 15 anos e só agora pude desfrutar de uma de suas grandes histórias. A edição, com a capa alaranjada e detalhes floridos em dourado, é mesmo muito bonita. Quanto ao corpo do texto, observei alguns problemas de tipografia e de revisão final, mas nada que não dê para relevar. Continuar lendo “Conhecendo Mansfield Park, enfim!”