Home>Bebidas>Afinal, Como a Cafeína Atua em Nosso Corpo?

Afinal, Como a Cafeína Atua em Nosso Corpo?

Cafeína é o composto químico classificado como um alcaloide. Ela pertence ao grupo das xantinas, e também atua sobre o nosso sistema nervoso central, aumentando a produção do suco gástrico, decorrente de uma alteração metabólica ocasionada pela mesma.

Graças ao estímulo desse sistema nervoso, a cafeína disperta o estado de hiperatividade e alerta. A cafeína é uma droga, e é A mais consumida do mundo, pois é comercializada normalmente, principalmente através do café.

Além do café, ela é encontrada em uma vasta quantidade de alimentos, como nos chocolates, guaraná, cola, no cacau e nos chá-mate. Além disso, conseguimos encontrá-la também em certos analgésicos e em inibidores de apetite.

O seu valor nutricional está ligado somente ao efeito excitante, ou seja, no efeito de atenção e alerta.

Os efeitos da cafeína dentro de nosso organismo é, atualmente, melhor compreendidos pelos cientistas. Os benefícios e prejuízos irão depender de um único detalhe: a dose do café.

A depender da quantidade, pode ser um ” remédio milagroso”, pois ela pode prevenir o mal de Parkinson ou a diabetes, segundo pesquisas recentes.

Porém, o seu excesso pode transformar a cafeína em um “veneno”, levando a arritmias cardíacas que podem ser fatais.

 


Consumo seguro de cafeína

Essa quantidade pode ser algo próximo das 10.000 miligramas, porém tenha calma, porque uma xícara com 240 ml normalmente contém de 90 até 200 miligramas.

A cafeína age em nosso sistema nervoso central como uma espécie de estimulante eficaz por conseguir atrapalhar a ação de adenosina, que á uma substância participante do sistema de freio de nosso cérebro, que funciona como um calmante discreto

Ao diminuir esses efeitos, a cafeína faz com que o nosso cérebro fique em constante alerta e com bastante atenção e muita concentração, e isso diminui também a sensação de fadiga mental. 

É possível que essa substância consiga estimular a produção cerebral de neurotransmissores como a serotonina e a dopamina, agindo dessa forma como um leve antidepressivo.

Porém, é preciso lembrar sempre: tudo vai depender da dose. Os efeitos positivos da cafeína acontecem com o consumo de doses que não passem de 300 mg diários.

Caso passe disto, a cafeína pode render irritabilidade, uma insônia e até mesmo atrapalhar a concentração.

Inclusive, quem costuma dormir pouco por cause da insônia precisa evitar o consumo de café pelo menos 12 horas antes da hora de ir para a cama.

Outro efeito bastante conhecido desse efeito é render uma dilatação dos brônquios dos pulmões, otimizando dessa forma a capacidade de respiração.

Não é a toa que os estudos já revelam que um motivo de melhor rendimento de esportistas com um consumo prévio da cafeína antes dos exercícios físicos é a melhoria da capacidade de respiração com a melhoria da oxigenação de músculos, melhorando dessa maneira o seu rendimento.

Inclusive, além desse ponto positivo, a cafeína consegue diminuir a percepção do cansaço pelo cérebro dos atletas, fazendo com que o esportista demore mais ainda para chegar a exaustão.

 


O que é a lipólise?



Lipólise é o que pessoas acima do peso e aquelas em forma desejam: usar as células de gordura (adipócitos) estocadas no  corpo para produzir combustível que queime gordura durante as ocasiões onde o corpo precisa de uma fonte de energia extra para firmar as atividades dos músculos que são exigidas.

É o conhecido efeito termogênico dessa substância, ou seja, ao fazer com que a gordura vire uma fonte energética, acaba tendo a geração do calor e uma elevação de temperatura corporal.


Contraindicação da cafeína


A cafeína, mesmo tendo diversos pontos positivos, pode ser contraindicado a depender da pessoa que vai consumir e de seu estado de saúde. É contraindicado o consumo de cafeína para:

  • Idosos, crianças, gestantes ou mães que ainda estão amamentando
  • Quem sofre de hipertensão Arterial, de insuficiência Coronariana ou que já tenha sofrido Infarto Agudo no Miocárdio
  • Se você já sofre arritmias cardíacas, pois ele pode ocasionar uma nova
  • Pessoas que sofrem de Hipertireoidismo
  • Aqueles que possuem problemas de Ansiedade geral ou de Síndrome do Pânico
  • Quem sofre de insônia
  • Pessoas que sofrem de irritabilidade
  • Problemas de gastrite ou esofagite
  • Pessoas que tem osteoporose.

 

Dependência de cafeína


É preciso alertar também que existe o perigo de uma dependência de cafeína. O consume frequente dessa substância com uma parada radical pode ocasionar em sintomas de uma abstinência como as dores na cabeça, algumas náuseas, enjoos e irritabilidade.

Nessas ocasiões, a diminuição do seu consumo precisa ser de maneira gradativa, de pouco em pouco e com uma orientação médica. 

 

Luciana
Uma jovem que estuda, trabalha e respira literatura. E sempre que possível está aqui para dar dicas de livros via internet.

Deixe uma resposta