Publicado em Literatura, Literatura Brasileira

Memórias inventadas – A segunda infância

Um tempo atrás eu postei uma resenha sobre um livro de poemas do Manoel de Barros.

Hoje vou falar um pouco do livro de prosa do escritor, intitulado Memórias inventadas – A segunda infância (Editora Planeta do Brasil, 2006). Ganhei o livro de presente e, taí uma ótima dica de escolha.

Sugestivo o nome, certo?

A obra é uma coletânea de textos remetentes à sua infância. Martha Barros, filha do autor, compôs as ilustrações que harmonizam o livro. Imagens simples, mas vê-se que são significativas.

Aliás, o livro todo é harmonioso. Vem dentro de uma caixa feita de papelão, com folhas soltas enroladas em uma fita de cetim lilás. Fiquei encantada só com o embrulho, o qual se relaciona facilmente com o Manoel e seu estilo simples de escrever.

Os contos nos levam para a infância do escritor, poeta e, como ele próprio diz, fraseador. Ele vive para brincar com as palavras e torcê-las. O trabalho é belíssimo e o resultado humilde, impressiona.

Separei algumas frases que podem encantá-los:

Tudo o que não invento é falso.

Daí também que a vó me ensinou a não desprezar as coisas desprezíveis. E nem os seres desprezíveis.


Aprendi a gostar do equilíbrio sonoro das frases.

Uso a palavra para compor meus silêncios.

Autor:

Formada em Letras pela PUC-SP. Adora ler, assistir filmes e musicais, conhecer bandas novas, sair para bater papo. Tenta ver a beleza nas coisas mais insignificantes. Acredita no ensino. Ensina na You Move.

7 comentários em “Memórias inventadas – A segunda infância

  1. Acho que ter um blog significa ter um espaço para dividir com pessoas de todo lugar do mundo, coisas que gostamos, pelas quais nos apaixonamos, aquilo que move nossa alma e nosso coração. Você faz isso muito bem. Parabéns. Adorei o texto e o blog por isso vou te seguir. Prometo voltar aqui.

    Quando possível visite o meu blog e diga-me o que achou.

    http://sabordaletra.blogspot.com/

  2. Há tempos não vejo algo tão singelo assim. Fico imaginando a beleza das palavras do Manoel envolvidas no simples mas aconchegante embrulho.

    Livros assim só mostram que a simplicidade fala mais alto do que poderia se imaginar. Ainda bem! Parabéns pela resenha.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s