Publicado em Teatro

Histórias de Mulheres

hmO ser humano sempre educou homens e mulheres baseados nas diferenças entre ambos. Isso nas tarefas, em força física e hierarquia. Na maioria dos conceitos, a mulher esteve abaixo de todos os quesitos por ser considerada fraca ou por ideologias que a colocam abaixo do homem. Quando e como isso se tornou uma regra, ninguém sabe dizer, mas as conseqüências disso são vistas ainda na sociedade atual.

Porém algumas mulheres conseguiram quebrar paradigmas. Lutaram por sua independência e auto-realização. Algumas se moldaram às regras da época para conseguir isso, outras já deram sua cara a tapa e não se importaram de serem mal vistas pela sociedade por isso.

E foi em algumas mulheres de fibras que a jornalista espanhola Rosa Montero usou como exemplo em seu livro. Histórias de Mulheres, é uma breve biografia sobre figuras importantes da cultura ocidental e o que passaram quando resolveram ser diferentes ao que a época exigia de mulheres.

O livro, que começou como uma coletânea de artigos para o jornal espanhol El País, não relata somente as histórias de mulheres que fizeram grandes feitos, algumas sequer são conhecidas do grande público (como a mãe da grande escritora Mary Shelley, criadora de Frankenstein) ou lembradas mais como esposa de alguém como de seus grandes feitos (como Zenobia Camprubi).

A autora faz uma coletânea de biografias contrastantes, mas que no fim percebemos que possuem pontos semelhantes, seja pelas conturbadas famílias, ou vidas sofridas por perdas ou problemas financeiros. Mas não só de heroínas que Rosa Montero fala, pelo contrário, algumas possuem vidas que servem de exemplo, outras, eram verdadeiras vilãs, antagonistas e algozes para àqueles que entravam em seus caminhos, como Simone de Beauvoir, que não se importava com o que os amantes ou qualquer outro estudioso pensasse: a seu ver ela e Jean Paul Sartre, seu amigo e companheiro fiel, estavam acima de tudo e de todos.

As personalidades escolhidas mostram uma vida que tocam na alma do leitor e o modo como a autora narra nos faz viajar em busca de mais informação sobre elas ou, pelo menos, relembrar seus trabalhos. Podemos sentir as obras delas revivendo quando lemos cada capitulo e percebemos como elas viviam seus personagens ou obras.
Uma delas, Agatha Christie, desapareceu misteriosamente certa vez e perdeu a memória. Muitos acreditavam que a rainha do crime (como era chamada) estava em busca de vender mais livros, mas depois de percebermos como o dia do desaparecimento foi doloroso (a morte da mãe, os problema conjugais) percebemos como uma fortaleza como Christie se mostrava, também era frágil e podia se quebrar.

Ao se falar nas irmãs Brontë (autoras de clássicos, como O Morro dos Ventos Uivantes e Jane Eyre) notamos que as adversidades que passaram estão nos seus livros (Jane Eyre relata de forma bem próxima a morte de uma personagem bem próxima da forma como as irmãs de Charlotte, a autora, faleceram quando crianças). Outro ponto chocante é saber que livros clássicos como estes, foram publicados com nomes masculinos, pois na época, mulheres não eram bem vistas como autoras. A autora ainda relata que um famoso poeta da época mandou uma delas parar de fazer poesia e utilizar seu tempo em algo produtivo para as mulheres.

Ingredientes variados são encontrados nas vidas de cada uma das quinze mulheres escolhidas – e mais alguns outros nomes lembrados com freqüência – e mostra ao leitor diferenças de vidas culturais e comportamentais ligados à época e local onde elas viveram, mas também que muitos problemas que as mulheres passam não estão ligados a um local somente, trazendo ao leitor informações interessantes.

Para comprar o livro, clique aqui, ou participe da comunidade Ediouro e participe da debateira cultural sobre o livro no orkut.

Autor:

Uma jovem que estuda, trabalha e respira literatura. E sempre que possível está aqui para dar dicas de livros via internet.

12 comentários em “Histórias de Mulheres

  1. É admirável ver um livro que conta histórias de mulheres vitoriosas.
    Ainda não li o livro mas me deixou curioso para descobrir fatos interessantes.

  2. Que legal! A capa do livro é bem linda e a idéia dela de fazer isso é realmente muito útil. Ainda hoje tem mulheres que dependem do marido, e elas acham que não podem fazer nada, talz. Esse é um bom livro!
    =)
    Bjos.

  3. Preciosidade, !!!! tudo que aborda e de certa forma eleva a alma e o poder feminino, é extremamente relevante!!!!
    vou ler esse livro, parabéns pelo post..

    grande abraço

  4. Otima dica…. adoreiiiiiii!!!!!terei otimos livros para o meu proximo embarque……

    Otimo ter alguem q aborda a cultura e o conhecimento!!!!!

    Parabensss

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s